19 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019, 16:17 - A | A

Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2019, 16h:17 - A | A

Prefeito volta cobrar governador e diz que VLT não sairá sem apoio da bancada federal

Olhar Direto

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) voltou a cobrar o Governo do Estado a buscar maior participação da bancada federal para conseguir viabilizar recursos e encontrar uma solução para conclusão da obra do Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT), que está paralisada desde 2014 e tem causado bastante transtorno para a população de Cuiabá e Várzea Grande.

 



Para o chefe do Executivo Municipal, a obra não irá ter continuidade se o governador Mauro Mendes (DEM) não buscar ajuda com os oito deputados federais e os dois senadores, a exemplo do que ele fez para concluir a obra do Hospital Municipal de Cuiabá.

“Eu sou totalmente favorável ao VLT, até porque eu vejo o VLT não apenas como uma virada de página e uma humanização no transporte coletivo, além de um ícone de desenvolvimento econômico e social. Agora, sem decisão política e envolvimento das forças políticas de Cuiabá, Várzea Grande, do Estado e principalmente da bancada federal, eu não acredito no êxito de todo este processo que está bastante tumultuado”, disse o prefeito nesta segunda-feira (16).

“Acho que liderado pela bancada federal, com a participação efetiva da Prefeitura de Cuiabá, de Várzea Grande, com o apoio da Assembleia Legislativa, ai sim, acredito que o Governo do Estado logrará êxito e terá total condições de em pouco tempo dar o destino esperado para esta obra tão importante para população de Cuiabá e de Várzea Grande”, afirmou.

O governador Mauro Mendes (DEM), que em campanha eleitoral prometeu por diversas vezes que iria apresentar uma solução para a obra, não cumpriu o compromisso e já adiou a medida para o primeiro semestre do ano que vem.

No mês de outubro, o deputado federal Emanuelzinho (PTB) acusou o governador de ‘boicotar’ a bancada que tinha o interesse de acompanhar o estudo de viabilidade técnica que está sendo feito junto à Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana.

Já no mês de novembro, o Estado contratou uma empresa no valor de R$ 464,3 mil para elaborar e apresentar no prazo de 90 dias um relatório sobre a retomada do VLT e a viabilidade de construção do BRT, modal de corredores exclusivos para circulação de ônibus.

O Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) foi escolhido como modal de transporte a ser implantado em Cuiabá e Várzea Grande ainda no período anterior à participação de Cuiabá na Copa do Mundo de 2014.

O investimento total a ser feito pelo governo do estado corresponderia a R$ 1,477 bilhão, por meio de um empréstimo contraído junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

 


Após cinco anos, as obras estão paralisadas e sem perspectiva de retorno. No dia 1º de novembro, o Diário Oficial da União (DOU) publicou a decisão administrativa do governo federal em prorrogar por 120 dias o estudo a respeito da viabilidade do VLT.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image