25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

SAÚDE Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019, 08:41 - A | A

Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019, 08h:41 - A | A

CRITICO

Inspeção aponta situação degradante no Hospital Adauto Botelho em Cuiabá

G1

Uma inspeção realizada em dezembro de 2018 e divulgada pelo Conselho Federal de Psicologia e representantes do Ministério Público Estadual, aponta inúmeras irregularidades no Centro Integrado de Assistência Psicossocial Hospital Adauto Botelho, em Cuiabá.

De acordo com o resultado, a situação da unidade, que trata pessoas com transtornos e doenças psicológicas, além de dependentes químicos, foi considerada degradante.

Entre os itens vistoriados está a infraestrutura, que segundo o relatório, apresenta péssimas condições de conservação e sem manutenção, com infiltrações, janelas com vidros quebrados, azulejos quebrados e soltos, ralos sem tampa ou quebrados, fiação elétrica exposta, rebocos desgastados e soltando e forros deteriorados com risco de ceder.

 
 
Condições de hospital foram consideradas degradantes, segundo Conselho de Psicologia — Foto: Reprodução/TVCA

Condições de hospital foram consideradas degradantes, segundo Conselho de Psicologia — Foto: Reprodução/TVCA

O relatório destaca ainda as más condições de trabalho dos profissionais da saúde do hospital, que não dispõem de material suficiente e adequado para o atendimento. “Não possui carrinho de emergência, laringoscópio, não possui medicamentos de urgência e emergência”.

O conselho identificou a falta de insumos básicos de saúde para os pacientes e compartilhamento de itens de higiene pelos mesmos, o que pode trazer enormes riscos de contaminação e transmissão de doenças.

O que mais chamou a atenção dos técnicos é que segundo os prontuários, todos os pacientes foram internados de forma involuntária. Segundo a psicóloga Vanessa Furtado, que acompanhou a inspeção, isso contraria a legislação.

 Hospital Adauto Botelho  em Cuiabá — Foto: Reprodução/TVCA

Hospital Adauto Botelho em Cuiabá — Foto: Reprodução/TVCA

 

“Esses processos de isolamento e privação de liberdade já foram mais que comprovados que não são processos de tratamento. Falta a estrutura de organização de uma rede de atenção psicossocial que possa fazer com que os hospitais não existam mais", explicou a psicóloga.

 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou que entregará ao Ministério Público do Trabalho os projetos da reforma e ampliação do Adauto Botelho, assim como as informações sobre as providências para obtenção de alvarás sanitário e do corpo de bombeiros.

 
Inspeção percebeu utilização de macas como cama no Hospital Psiquiátrico Adauto Botelho, em Cuiabá — Foto: MNPCT

Inspeção percebeu utilização de macas como cama no Hospital Psiquiátrico Adauto Botelho, em Cuiabá — Foto: MNPCT

Ainda segundo a SES, o hospital tem contratos com serviços terceirizados na área de cozinha hospitalar, lavanderia, limpeza, coleta de lixo, entre outros serviços e nega a denúncia de suposta prática de trabalho irregular para com os pacientes.

De acordo com secretário Gilberto Figueiredo, o hospital está suprido de medicamentos. Ele afirma que o edital de licitação das obras dessa reforma será lançado em breve.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image