25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019, 10:38 - A | A

Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019, 10h:38 - A | A

DIFICULDADES

Wellington diz que PL está com dificuldades de encontrar candidato para enfrentar Emanuel

Olhar Direto

Apontado como um dos pivôs da briga entre Emanuel Pinheiro (MDB) e o governador Mauro Mendes (DEM), por conta do apoio que o prefeito de Cuiabá lhe deu nas eleições do ano passado, o senador Wellington Fagundes (PL) ainda não sabe se irá retribuir a composição em 2020, quando o emedebista deve disputar a reeleição. O parlamentar, no entanto, revelou que seu partido está com dificuldades de encontrar candidato para enfrentar Emanuel nas urnas.

 



Leia mais:
Presidente do PDT diz que saída de Julier deixa “caminho livre” para candidatura de maestro a prefeito em Cuiabá

“A Capital é o único caso diferente do resto do Estado, porque tem dois turnos. O ideal era que cada partido pudesse ter candidato para eleger vereadores, porque não tem mais coligação na proporcional. Aqui em Cuiabá o PL apóia o Emanuel, mas na reeleição se tivermos um bom candidato... Hoje está difícil, não está fácil achar candidato, a administração está difícil e o financiamento público é outra complicação. Os recursos hoje em dia não são suficientes para bancar uma campanha, porque você pode concorrer com alguém que tem recursos próprios. Eu acho que isso piorou, a coisa está desigual, porque candidato que tem dinheiro é mais competitivo”, disse Fagundes.

Conforme já havia mencionado, Fagundes explicou que o PL trabalha pelo objetivo de se fortalecer na Câmara de Cuiabá. Atualmente, a legenda possui apenas um vereador eleito na Capital, o Chico 2000, que ainda não informou se virá à reeleição.

Por ora, de acordo com o senador, a expectativa é de que o partido lance um candidato a prefeito – ainda que sem grandes chances de ser eleito – para agregar votos no 1º turno. Eventuais alianças só seriam, portanto, discutidas a partir do 2º turno. Fagundes não descartou, também, a possibilidade de contribuir com o vice de uma das chapas que consolidarem.

Até o momento, somente os grupos do governador Mauro Mendes (DEM) e o do senador José Medeiros (Podemos) bateram o martelo sobre a candidatura própria em Cuiabá. O primeiro ainda não definiu nome, mas trabalha com os nomes do presidente do DEM em Mato Grosso, ex-deputado Fábio Garcia, além de membros do staff de Mendes, como o secretário chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, e de Saúde, Gilberto Figueiredo. O Podemos, por sua vez, lançou o vice-prefeito Niuan Ribeiro como pré-candidato.

 


 


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image