25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019, 14:22 - A | A

Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019, 14h:22 - A | A

CONDENADO

Vereador é condenado a devolver verba recebida irregularmente em 2006 em MT

G1

O vereador por Nova Ubiratã, a 506 km de Cuiabá, Claudir Antonio Rizzo (PDT), foi condenado a devolver o valor referente à verba indenizatória recebida indevidamente durante sessões realizadas nos meses de setembro e dezembro de 2006. A decisão é do juiz Valter Fabrício Simioni da Silva. O valor a ser devolvido não foi informado.

Também foram condenados os ex-vereadores Ademir Paulo Maier, Claudiomir Campagnoni, Eder Leandro Setter, José Afonso Canola, Djalma José De Oliveira, Halacy José Pereira, Urcilana Martins Ingraça e José Flavio Petry.

Na época, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) julgou irregular a prestação de contas da Câmara de Nova Ubiratã.

Na ação, Claudir Rizzo, bem como os ex-vereadores José Canola, Claudiomir Campagnoni e Eder Setter apresentaram contestação, alegando que não agiram de má-fé.

Djalma José de Oliveira foi notificado, mas não apresentou defesa, assim como Urcilana Martins Ingraça. Ademir Paulo Maier contestou a ação, alegando inexistência de dolo e dano ao erário. Halacy Amorin José Pereira, por sua vez, apresentou alegou que havia dúvida na aplicação da norma. José Flávio Petry alegou que a conduta praticada é legal e que não houve dolo ou culpa.

Conforme o magistrado, todos os envolvidos confirmaram o recebimento da verba indenizatória, justificando a prática do ato pelo desconhecimento da lei, ausência de dolo e até mesmo por atipicidade da conduta.

“É indiferente que a vantagem econômica indevida, que constitui o fruto do enriquecimento ilícito, seja obtida por prestação positiva ou negativa, ou de forma direta ou indireta pelo agente, pois basta que ele venha a incorporar ao seu patrimônio bens, direitos, ou valores de maneira indevida, ou seja, a que o agente público não faz jus, aquela que é contrária à legalidade ou à moralidade administrativa”, afirmou o juiz.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image