25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019, 10:24 - A | A

Terça-feira, 03 de Dezembro de 2019, 10h:24 - A | A

INFORMAÇÃO

Ministra solicita ao STJ informações sobre recurso contra afastamento de conselheiro do TCE-MT

Olhar Direto

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), oficiou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que preste informações sobre o andamento de um recurso do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT), Valter Albano da Silva, que buscava a revogação de todas as medidas cautelares impostas a ele e aos demais conselheiros afastados, com seu consequente retorno ao TCE-MT.


 
A ministra já havia negado um habeas corpus ao conselheiro afastado, pois o caso seria julgado pelo Órgão Especial do STJ. Ela busca saber se há previsão de julgamento.
 
Leia mais:
Ministra rejeita recurso que buscava garantir retorno de conselheiros afastados do TCE-MT
 
Em setembro de 2017 o ministro Luiz Fux determinou o afastamento dos conselheiros José Carlos Noveli, Waldir Teis, Antônio Rodrigues Neto, Valter da Silva e Sérgio Ricardo de Almeida, após indícios de prática de corrupção.


 
Valter entrou com pedido de habeas corpus, pediu que seus recursos fossem analisados e o processo seguisse seu curso. Sua defesa ainda argumentou que, da análise de todas as peças do inquérito, periciais, apreensões e delação premiada do ex-governador Silval Barbosa, não houve provas das alegadas práticas de corrupção passiva que teriam sido cometidas por ele e pelos demais conselheiros. A ministra citou que já havia indeferido o habeas corpus.
 
“Em 16.10.2019 neguei seguimento ao presente habeas corpus, observando que o agravo regimental do paciente seria levado a julgamento pelo Órgão Especial do Superior Tribunal de Justiça conforme informado. Contra essa decisão o paciente interpôs agravo regimental em 22.10.2019”.
 
A ministra também havia argumentado que “os elementos de prova já colhidos não apenas comprovam a materialidade e corroboram a suficiência dos indícios de autoria no que tange aos Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Mato Grosso investigados”, como também afirmou estar evidenciado o risco de que eles sigam fazendo uso indevido do cargo para enriquecer ilegalmente.

 
 


 
No despacho publicado nesta segunda-feira (2) a ministra oficiou o ministro Raul Araújo, do STJ, que é relator do recurso, para que informe sobre o andamento do caso. Ela ainda determinou que, assim que prestadas as informações, os autos retornem a ela com urgência.


“Oficie-se ao ministro Raul Araújo para, com urgência, no prazo máximo de vinte e quatro horas, informar o andamento atualizado do Pedido de Busca e Apreensão Criminal n. 12 e se há previsão para o julgamento do agravo regimental interposto pelo paciente contra a decisão pelo qual se determinou seu afastamento cautelar do cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas de Mato Grosso”, determinou.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image