19 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Terça-feira, 17 de Dezembro de 2019, 14:04 - A | A

Terça-feira, 17 de Dezembro de 2019, 14h:04 - A | A

NEGA RECLAMAÇÕES

Gilmar Mendes nega reclamação que tentava obrigar RGA aos servidores do Executivo

Olhar Direto

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou reclamação que buscava obrigar o pagamento da Revisão Geral Anual aos servidores do Poder Executivo em Mato Grosso. A decisão é do dia 16 de dezembro.

A reclamação com pedido liminar foi impetrada pela Confederação Nacional das Carreiras Típicas do Estado (Conacate) contra ato praticado pelo governador Mauro Mendes, que determinou o pagamento de Reajuste Geral Anual (RGA) aos servidores do Judiciário e Legislativo, deixando de conceder ao Executivo.
 
A confederação afirmou que a decisão de Mendes fere o princípio da isonomia. “O Estado não pode simplesmente conceder o Reajuste Geral Anual para determinadas categorias e a outras não”.
 
Em sua decisão, Gilmar Mendes esclareceu que compete ao STF processar e julgar originariamente reclamação para a preservação de sua competência e garantia da autoridade de suas decisões. No caso da discussão sobre a RGA, o remédio jurídico escolhido foi errado.
 
“Não se verifica nenhuma das possibilidades constitucionalmente previstas para o ajuizamento da reclamação (art. 102, I, “l”, da CF/88), porquanto ausente indicação de afronta à decisão dotada de efeito vinculante para a Administração Pública tampouco alegação de usurpação de competência desta Corte”, salientou Gilmar Mendes.
 
O ministro afirmou ainda que o instrumento processual da reclamação não pode ser empregado como atalho processual para fazer chegar a causa diretamente ao Supremo Tribunal Federal.
 


“Desse modo, inadmissível esta reclamação”, finalizou Gilmar Mendes.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image