19 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Terça-feira, 17 de Dezembro de 2019, 16:29 - A | A

Terça-feira, 17 de Dezembro de 2019, 16h:29 - A | A

UNIMED

Disrupção do mercado de saúde em Cuiabá impacta planejamento da Unimed Cuiabá para 2020

Assessoria

A disrupção do mercado da saúde em nível nacional e regional vem sendo um dos principais temas de discussão nos fóruns e encontros da Unimed Cuiabá nos últimos meses. As movimentações das concorrentes estão cada vez mais intensas, principalmente, graças a injeção de recursos do capital estrangeiro, e Cuiabá sofre os impactos que geram importantes mudanças no cenário. A Unimed Cuiabá planeja novos investimentos para verticalizar os atendimentos hospitalar e laboratorial.

 

Segundo o presidente, Dr. Rubens Carlos de Oliveira Junior, é o momento de acelerar as ações que visem corresponder à importância da operadora no mercado cuiabano. “Há dois anos, um investimento em recursos próprios era impensável para a Unimed Cuiabá, e nós mostramos que a Cooperativa tem condições e responsabilidade para isso. Este ano avançamos bastante na discussão do Fundo de Investimentos em Participações (FIP). No entanto, nos meses em que discutíamos, o cenário da Saúde privada em Mato Grosso mudou completamente”, comentou o presidente, referindo-se às vendas de grandes unidades de saúde para grupos de outros estados.

 

Recentemente, o Laboratório Carlos Chagas, um dos maiores de Mato Grosso, foi vendido para a Rede Sabin, com sede em São Paulo e atuação em 11 estados e no Distrito Federal. A venda envolveu cifras na ordem dos R$ 50 milhões. Em novembro, o Hospital São Matheus milhões pelo Grupo Meridional, o maior grupo de Saúde do Espírito Santo e o quinto maior do país, que recebe aporte do Fundo de Investimentos norte-americano H.I.G. Capital.

 

Já o Hospital Santa Rosa está em negociação com o Grupo Santa, de Brasília, que possui seis unidades hospitalares no Distrito Federal. Segundo fontes, as negociações estão bem avançadas e a previsão é que o acordo deve ser assinado até o fim deste ano. “Por isso, agora é hora de começarmos a pensar em ações mais concretas, pois o mercado exige respostas rápidas e esta movimentação que estamos vendo em Cuiabá é prova disso” reforçou o presidente.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image