25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Terça-feira, 17 de Dezembro de 2019, 16:11 - A | A

Terça-feira, 17 de Dezembro de 2019, 16h:11 - A | A

FAKES NEWS

Combate as Fakes News será intensificado nas eleições 2020

REDAÇÃO

Regina Botelho Da Redação  

A divulgação de conteúdos falsos, os Fake News nas redes sociais e outros canais digitais nas disputas municipais vêm preocupando especialistas no assunto em diversos setores. Em 2020, teremos eleições municipais e pelo que tudo indica as Fakes News serão um dos maiores desafios a serem enfrentados durante o período eleitoral. A Justiça Eleitoral de Mato Grosso está se preparando para atuar no combate das possíveis Fake News a serem disseminadas nas Eleições 2020. O presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), desembargador Gilberto Giraldelli, ressalta que é necessário entender profundamente o funcionamento das Fakes News, ter consciência que não é uma ação aleatória, mas sim, uma estratégia orquestrada e coordenada para atingir determinado fim. “Acompanhamos muitos ataques à Justiça Eleitoral nas eleições de 2018, suspeitas em relação aos processos de totalização e apuração, mas nunca apresentaram uma prova mínima. Temos um sistema eletrônico de votação moderno, tecnológico, e principalmente seguro”, reforça o presidente do TRE-MT.

É necessário entender profundamente o funcionamento das fake news, ter consciência que não é uma ação aleatória, mas sim, uma estratégia orquestrada e coordenada para atingir determinado fim. Acompanhamos muitos ataques à Justiça Eleitoral nas eleições de 2018, suspeitas em relação aos processos de totalização e apuração, mas nunca apresentaram uma prova mínima. Na concepção de Giraldelli, a sociedade e seus diversos segmentos e as instituições públicas e privadas precisam se unir para combater a fake news. Ele frisa ainda que a Justiça Eleitoral tem enfrentado a disseminação de notícias fakes que colocam em risco a democracia. “Estamos promovendo o debate, buscando soluções. Mas essa luta não compete só a nós. Nenhum cidadão está blindado de sofrer as consequências das notícias falsas”. De acordo com Diogo Cruvinel, que é mestre em ciência política, pós-graduado em Direito Público, a Fake News não é uma doença que conseguiremos eliminar. “Há uma confusão entre aquilo que é possível ser considerado como fake news. É preciso se diferenciar o que é fato daquilo que é opinião. Do ponto de vista da opinião, não existe falar que determinado pensamento é fake news, o que a pessoa pensa sobre determinado assunto ou fato, a não ser que ela tenha emitido uma opinião sobre um fato que não é verdadeiro”, destaca.

O ex-ministro do Tribunal Superior, Eleitoral, Henrique Neves, destacou a complexidade de tratamento das Fake News nas eleições de 2020. Ele lembrou que a análise de violações na propaganda eleitoral será feita por 2.800 juízes das zonas eleitorais responsáveis pelas disputas municipais nas diferentes regiões do país. O total de candidatos estimou Neves, em função das mudanças nas eleições para vereador em 2020, deve passar dos 500 mil em todo o Brasil. “A eleição municipal é muito mais complicada de ser feita do que a nacional. Você vai ter um universo menor, municípios com 20 mil pessoas, onde uma Fale News pode se espalhar mais rapidamente.

É importante uma qualificação para que os juízes, Ministério Público e advogados saibam lidar com o problema”, afirmou. Outra preocupação em relação às Fake News nas eleições municipais de 2020 vem do uso do Facebook para a disseminação de notícias falsas sobre os candidatos. Durante evento realizado recentemente o diretor de políticas do Facebook, Marcos Tourinho afirmou que as iniciativas realizadas pela empresa visam garantir a integridade das disputas eleitorais, como têm sido implantadas em pleitos nos últimos anos e que serão adotadas em eleições deste ano, como na Argentina e na Bolívia. “ Em função da importância do marketing político no Facebook, a empresa empreende ações para reduzir contas falsas e o alcance de notícias identificadas como falsas por checadores no newsfeed”. Questionado, disse que a empresa não aprovou nenhuma nova medida para as eleições de 2020 no Brasil e que será feito um esforço em torno da diversidade e fragmentação do pleito.   Enfrentamento   O WhatsApp, Google, Facebook e Twitter apoiam a luta contra as fake news nas Eleições Municipais de 2020. As empresas de tecnologia participarão do Programa de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A Presidência do Tribunal desenvolveu o projeto com o objetivo de combater a desinformação e todo o seu desdobramento negativo no processo eleitoral brasileiro, principalmente nas Eleições Municipais de 2020.  


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image