25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍTICA Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019, 08:49 - A | A

Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019, 08h:49 - A | A

PROMESSAS

Com quase um ano de mandato, Governo não cumpre principais promessas para saúde em Cuiabá

Olhar Direto

O governador Mauro Mendes (DEM) não cumpriu até o momento as principais promessas de campanha na área de saúde, em relação a Cuiabá, neste quase um ano de mandato à frente do Palácio Paiaguas.
 


No Plano de Governo feito por Mendes, o governador eleito em 2018 se comprometeu a concluir e equipar o novo pronto-socorro, medida que foi articulada e concluída pelo prefeito Emanuel Pinheiro, além de colocar os repasses atrasados da área da saúde com os municípios, incluindo a capital.

Como o prefeito conseguiu, com a ajuda do ex-ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Blairo Maggi (PP) e do senador Wellington Fagundes (PL) o recurso de R$ 100 milhões do Governo Federal, o novo pronto-socorro, que se transformou no Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) foi equipado sem ajuda do Palácio Paiaguas.

Em entrevistas recentes, o governador Mauro Mendes declarou que o Governo do Estado não irá dar mais nenhum centavo para causa, desprezando acordo feito pelo ex-governador Pedro Taques (PSDB), que se comprometeu a repassar R$ 82 milhões ao município para o custeio da unidade de saúde, visto que a prefeitura já havia conseguido recursos para o equipamento.

O recurso de R$ 82 milhões prometido por Taques é oriundo de emendas parlamentares da bancada federal, que se empenhou em ajudar o município e o Estado a concluir a obra do novo hospital.

Já os repasses atrasados em torno de R$ 3,1 milhões por mês para o município, que não foram pagos pelo Governo de Pedro Taques, também não foram regularizados até o momento.

De acordo com o secretário de Saúde do município, Luiz Antônio Possas de Carvalho, o Governo do Estado deve para Cuiabá, cerca de R$ 68 milhões, valor que já foi contestado por Mendes.
 

O Estado reconhece o atraso de R$ 39 milhões, referentes a dívidas de 2016, 2017 e 2018.  
 

Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image