23 de Junho de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍCIA Quinta-feira, 19 de Dezembro de 2019, 15:38 - A | A

Quinta-feira, 19 de Dezembro de 2019, 15h:38 - A | A

QUADRILHA

Polícia prende quadrilha que roubava caminhonetes no Brasil para levá-las à Bolívia

G1

Quatro homens foram presos em Rondônia na ‘Operação Rastreio’, nesta quinta-feira (19), suspeitos de integrarem uma organização criminosa especializada em roubar caminhonetes no Brasil para levá-las à Bolívia. Segundo o delegado Fábio Campos, a quadrilha tinha até motorista próprio e pontos de apoio em estradas vicinais em Rondônia para passar com os veículos roubados.

A operação foi deflagrada pela Polícia Civil ainda na parte da manhã. Cinco mandados de prisão e um de busca e apreensão foram autorizados pela Justiça Estadual para serem cumpridos nos municípios de Vilhena (RO), Cacoal (RO) e Rolim de Moura (RO). Felipe Prudente Campos foi o único assaltante não localizado e está foragido.

A ‘Operação Rastreio’, segundo o delegado regional Fábio Campos, visa a desarticulação de um grupo criminoso envolvido em roubos de caminhonetes e caminhões para serem levados e vendidos ilegalmente na Bolívia.

“O trajeto que eles faziam era bem pontual: os suspeitos não iam por Guajará-Mirim, mas sempre descendo por Mato Grosso, pela cidade de Cáceres ou Vila Bela. Eles tinham motoristas próprios e pontos de apoio em estradas vicinais de Rondônia para ajudar na fuga com os veículos”, explica o delegado.

A preferência dos criminosos, segundo Fábio, eram por veículos de grande porte, pois facilitava na comercialização com o outro grupo que atuava no país vizinho. Já em solo boliviano, os suspeitos trocavam os carros por drogas.

 
Armas foram apreendidas na Operação Dreno em Rondônia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Armas foram apreendidas na Operação Dreno em Rondônia — Foto: Polícia Civil/Divulgação

De acordo com a Polícia Civil, duas pessoas que participavam da organização foram presas em Vilhena, uma terceira em Colorado do Oeste e outra no município de Rolim de Moura. Os suspeitos podem ser condenados pelos crimes de roubo e associação criminosa, podendo a pena chegar a 33 anos de prisão.

 

Suspeito foragido

 

Felipe Prudente Campos, que integrava a quadrilha, está foragido. A polícia afirma que Felipe agenciava os outros participantes do grupo e dava suporte nas fugas.

O delegado da Polícia Civil afirma que os suspeitos agiam de forma violenta contra as vítimas, mantendo-as em cárcere privado enquanto outros envolvidos levavam os veículos roubados para Mato Grosso, estado que faz fronteira com Rondônia.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image