25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍCIA Quinta-feira, 28 de Novembro de 2019, 14:36 - A | A

Quinta-feira, 28 de Novembro de 2019, 14h:36 - A | A

CAUTELA

Juiz derruba última cautelar e autoriza retorno do delegado João Bosco e esposa

Olhar Direto

O juiz Moacir Rogério Tortato, da Terceira Vara Criminal de Várzea Grande, revogou cautelares de suspensão do exercício da função pública decretadas contra o delegado João Bosco Barros e sua esposa, a investigadora Glaucia Cristina Moura Alt. Conforme informado pelo advogado Ricardo Spinelli, responsável pela defesa, o casal está apto para retornar ao trabalho.



A decisão foi estabelecida na terça-feira (26) e levou em conta a revogação de cautelar semelhante em ação de improbidade administrativa. As medidas perduraram desde meados do ano de 2013.
 
Segundo o magistrado, dentre outros fatores, o principal motivo para manutenção da cautelar foi a ausência da conclusão das perícias de voz deferidas que não foram finalizadas em tempo razoável pela falta de aparato Estatal.

“Deste modo, tendo em vista que a instrução criminal está praticamente encerrada, não podendo se cogitar eventual interferência dos acusados à colheita de provas, bem como se considerando que a medida cautelar não pode perdurar por tempo indefinido prejudicando demasiadamente os interesses dos acusados e ferindo suas garantias constitucionais, revogo a medida cautelar de afastamento dos agentes João Bosco Barros e Glaucia Cristina Moura Alt”, decidiu Moacir.

Juiz derruba última cautelar e autoriza retorno do delegado João Bosco e esposa
 
O magistrado determinou intimação da Policia Civil de Mato Grosso para que tome ciência da decisão.
 
O caso
 

 


O processo em que a cautelar foi revogada versa sobre suposta atuação, mediante recebimento de vantagem indevida, no intuito de dar proteção e cobertura à atividade criminosa desencadeada pelo traficante de drogas Marco Antônio da Silva, conhecido como Neném.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image