25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

GERAL Terça-feira, 24 de Dezembro de 2019, 09:25 - A | A

Terça-feira, 24 de Dezembro de 2019, 09h:25 - A | A

ACESSO Á ÁGUA

Governo do Estado assina termo de cooperação com Funasa para poços artesianos

Assessoria

A Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat) irá prestar apoio técnico para a perfuração de poços para abastecimento de água a comunidades rurais e urbanas de Mato Grosso. O Termo de Cooperação entre a empresa pública e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) foi assinado nesta segunda-feira (23.12) na Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), em Cuiabá.

“A Metamat mostra, desta forma, o seu papel social e a sua capacidade de se reinventar e prestar serviços. Vários municípios já estão se cadastrando no programa que, inicialmente, terá R$ 10 milhões. Conversaremos também com a Secretaria de Agricultura Familiar para ampliar o acesso das famílias mato-grossenses”, disse César Miranda, secretário de Desenvolvimento Econômico.

Conforme o presidente da Metamat, Juliano Jorge Boraczynski, a cooperação faz parte das ações de investimento em pesquisa e do papel social da empresa. “São mais de 60 mil famílias sem acesso à água potável em Mato Grosso. Temos o corpo técnico de geólogos mais capacitado do Estado e eles atuarão no projeto que iniciará em fevereiro de 2020”, informou.

Boraczynski ressaltou que as prefeituras que se interessarem no projeto devem se enquadrar em pré-requisitos como uma contrapartida da etapa útil, que significa a instalação de bomba, reservatório, ligação domiciliar e cercamento da área.

“Para auxiliar as prefeituras que não têm condições financeiras desta contrapartida, iremos buscar apoio da bancada federal de Mato Grosso a partir do próximo ano”, frisou o presidente da Metamat.

O superintendente da Funasa, Francisco Holanildo, lembrou faz parte da missão da Fundação atender estas comunidades com poços artesianos. “A parceria vem fortalecer isso e buscamos a qualidade na perfuração com o corpo técnico da Metamat. Atualmente, estamos verificando as demandas e qualificando para saber quem realmente precisa e iniciar por estas localidades”, explicou.

Serão beneficiados moradores de áreas rurais ou urbanas de agricultura familiar, pequenos produtores, comunidades quilombolas e ribeirinhas que atualmente não possuem acesso ideal a água potável.

Sedec MT

De acordo com o levantamento da Metamat, em 2017 o município de Juína era o que mais tinha famílias com demanda de água potável – 6.046, seguido de Santo Antônio de Leverger, 1.967 famílias, Novo Mundo, com 1.852 famílias e Poxoréu, com 1.829 famílias.

A Metamat contribuirá para o projeto com geólogos, engenheiros civis e engenheiro de minas, com experiência e conhecimento em trabalhos de identificação e perfuração de poços tubulares. A engenheira civil da Metamat, Larice Figueiredo, explicou que as prefeituras também precisam estar em dia com documentação como posse da terra e ligação de energia elétrico no local.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image