28 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

VARIEDADES Segunda-feira, 13 de Maio de 2024, 11:24 - A | A

Segunda-feira, 13 de Maio de 2024, 11h:24 - A | A

CONTRA PRINCÍPIOS

Anitta abre álbum de fotos em terreiro de candomblé e anuncia clipe de música

GSHOW

Nesta segunda-feira (13), Anitta abriu um álbum de fotos em seu Instagram mostrando um pouco de seus momentos no candomblé, sua religião. As imagens são para promover o lançamento do clipe de "Aceita", presente em seu novo álbum, "Funk Generation". O vídeo estreia no próximo dia 15.

Em coletiva realizada no final de abril para promover o novo trabalho, Anitta explicou que a canção faz referência a Exu, um Orixá das religiões de matriz africana. Ela disse que a canção é para homenagear sua própria fé. "Tem a ver com a minha religião, mas também com a cultura funk, né? Que nada mais é também que cultura afro, que é a mistura e também a quebra de preconceitos religiosos que eu sempre gosto de fazer no meu trabalho, na minha vida".

"A gente gravou esse clipe no ano passado com essa ideia e por isso que a gente manteve essa música no álbum. Mas, na verdade, ela não tem o beat de funk como as outras. Era um experimento mesmo para ver como é que fica essa mistura de alguns elementos do funk numa música assim", disse.

Quer ficar bem informado em tempo real? Entre no nosso grupo e receba todas as noticias (ACESSE AQUI).

Anitta admite que essa é a única faixa com um discurso mais político do álbum. A cantora reforça que a intenção do trabalho é explorar canções para "balançar a raba". "Não tem muito o que militar nas letras de música para se divertir, dançar na balada", disse.

Veja o que ela escreveu na postagem:
Eu sou Longun Edé. O grande príncipe herdeiro da raça dos meus pais! Tenho a sensibilidade e a inteligência de minha mãe e a bravura e a esperteza de meu pai. Caçador e pescador, sou minha própria natureza. Sou o único capaz de reunir todos os mundos. Sou o equilíbrio entre os homens e as mulheres. Sou cultuado nos axés do Brasil.

Com Severiano, ergui, na Bahia, a casa do Kalé Bokum. Com Zezito, minha força chegou ao Rio de Janeiro, onde desembarquei com a Corte Real Ijexá. Estou presente em todos aqueles que reconhecem que sou “santo menino que velho respeita”, como falou Mãe Menininha do Gantois.

Eu sou a força da juventude no tempo. Estou no presente e daqui olho para o futuro. Estou no passado e de lá resgato as tradições. Estou no futuro em que meu legado é imortal! Eu nunca morro.

Também estou no desafio aos limites. Neste mundo de afrontas, sou o combate à humilhação das pessoas subalternizadas, empobrecidas e constrangidas simplesmente por existirem. Ousadia é meu nome contra os que negam uma vida plena e digna aos jovens pretos.

Apoio dos famosos
Após a postagem, Anitta começou a perder seguidores, mais de 100 mil em menos de uma hora da postagem no ar. Segundo ela, devido à intolerância religiosa por parte do público que a seguia. Porém, os famosos, como David Brazil, Maiara e Marina Sena, celebraram a postagem.

No ano passado, a cantora deu uma longa entrevista para a revista americana "Harper´s BAZAAR" e relembrou a saída da Igreja Católica e a entrada na religião de matriz africana.

O momento de reviravolta aconteceu quando seu padre favorito foi expulso, após homenagear "a cultura negra e a religião negra" no Dia da Consciência Negra, em uma missa sobre Zumbi dos Palmares. "Fiquei muito frustrada e não queria voltar", contou ela. Por conta disso, a cantora se voltou para o candomblé, religião do seu pai, que ainda sofre muito preconceito.

"Quando vem das comunidades pobres, as pessoas veem isso como uma coisa ruim. Quando vem dos negros, quando vem dos índios, quando vem dos asiáticos, todas as pessoas que sofrem racismo, acho que essas religiões sofrem mais", comenta. 


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image