25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍCIA Segunda-feira, 30 de Dezembro de 2019, 13:56 - A | A

Segunda-feira, 30 de Dezembro de 2019, 13h:56 - A | A

DENUNCIA

Ex-secretário denuncia Favo de Mel após amigos e familiares passarem mal com comida de churrascaria

OLHAR DIRETO

O ex-secretário de Turismo, Luiz Carlos Nigro, denunciou a churrascaria Favo de Mel, que tem o cantor Marrone (que faz dupla com Bruno), como sócio, após seus familiares e amigos passarem mal ao comer no local. Segundo ele, o fato aconteceu no dia de Natal e, posteriormente, outro grupo também acabou, supostamente, infectado.

 



 
“Fomos almoçar no dia 25 com meu sogro, na churrascaria Favo de Mel. Almoçamos normal, com a família e amigos. À noite, minha esposa começou a passar mal, no dia seguinte amanheceu vomitando, assim como meus filhos. Eu também não estava me sentindo bem, assim como nossos outros familiares”, pontuou o ex-secretário ao Olhar Direto.
 
Segundo Nigro, o único lugar em que todos os familiares e amigos comeram juntos foi na churrascaria Favo de Mel. “Ficamos internados tomando soro e até hoje estamos sentindo os efeitos. Isso desde o Natal".
 
Nigro ainda explica que seu sogro ligou na churrascaria para falar sobre o ocorrido e alertar a direção. Porém, ouviu deles que seguem todas as normas de higiene e que o problema não teria sido no estabelecimento.
 
“Depois de alguns dias, liguei para um empresário que almoçou em uma mesa próxima a nossa. Ele também relatou que os familiares passaram mal após comer na churrascaria. Meu sogro ligou para outro amigo, que também passou mal. Minha cunhada ligou para algumas pessoas que almoçaram e também tiveram problemas”, disse o ex-secretário e pré-candidato a prefeito por Cuiabá.
 
O ex-secretário conta ainda que no sábado, um grupo de uma empresa foi realizar uma confraternização na mesma churrascaria. Das 70 pessoas, 30 passaram mal e outras dez disseram não estar passando bem.
 
“Fizemos denúncia na vigilância sanitária. É inadmissível que aconteça algo desta forma. Ligamos, falamos e não tomaram providências, tanto que três dias depois aconteceu novamente este problema”, finalizou o secretário.

Outro lado

 


A reportagem tentou contato através do telefone fixo e no celular de um dos proprietários. Porém, as ligações não foram atendidas. O espaço continua aberto para posteriores esclarecimentos.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image