25 de Maio de 2024

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

POLÍCIA Sexta-feira, 20 de Dezembro de 2019, 09:35 - A | A

Sexta-feira, 20 de Dezembro de 2019, 09h:35 - A | A

ASSOCIAÇÃO AO TRÁFICO

Advogada diz que provas contra vereador preso são 'fracas'

GAZETA

Advogada Marcelle Ramires Pinto Coelho, que faz a defesa do vereador Jânio Calistro (PSD), preso na manhã de quinta-feira (19) em operação da Polícia Civil que desarticula quadrilha responsável por 90% do tráfico de drogas em Várzea Grande disse que as provas para a prisão dele são fracas e que ele não tem nada a ver com isso.  

 

Segundo Coelho, que ainda não teve acesso aos autos do processo, a Polícia Civil ainda não passou de forma profunda o que motivou o pedido de prisão preventiva de Calistro, mas o que ela sabe até o momento, são alegações fracas e frágeis. 

 

“São ligações telefônicas gravadas. Veja, ele é vereador, atende muitas pessoas todos os dias, não tem como saber quem é traficante ou não. Primeiro vamos ter acesso aos autos e depois entrar com um pedido de soltura”, destacou.

 

Na visão da advogada, apesar de a Justiça ter entendido e expedido o mandato de prisão, “sabemos que ele não tem ligação com o tráfico”.  Por outro lado, para o delegado Vitor Hugo Teixeira, da Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), as provas são robustas para a prisão preventiva.

 

“Foram 71 dias de investigação com diligências e prisões em flagrantes. Vamos agora aprofundar a investigação para comprovar a ligação dele com a organização criminosa”, destacou o delegado. Entre os matérias apreendidos durante as diligências estão maconha, cocaína, pasta base, e cadernos com anotações e um revólver calibre 38.

 

Operação Clean Up 

Ao todo, 23 pessoas foram presas pela Polícia Civil para desarticular a quadrilha que comandava 90% do tráfico de drogas em Várzea Grande. O grupo está associado ao Comando Vermelho, mas a polícia descartou a ligação do vereador com a facção criminosa.


Comente esta notícia

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br). É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Jornal Centro-Oeste Popular (copopular.com.br) poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.


image