Esporte

15/09/2018 08:31

  Procurador Mauro tenta intimidar veículo de comunicação em Mato Grosso

Eterno candidato a tudo em Mato Grosso, mas que ainda tenta emplacar o nome como “novo”, o Procurador Mauro Lara (Psol), que nestas eleições busca uma vaga no Senado, vem extrapolando os limites nessas eleições, praticamente violando o direto da imprensa livre, tentando impor censura, em uma atitude que beira o desespero, pois já já foi candidato a quatro cargos diferentes. Ele tentou ser governador, em 2006, prefeito, em 2008, 2012 e 2016, deputado federal, em 2014, e tenta o Senado pela segunda vez este ano, já que em 2010 ele também pleiteou o mesmo cargo, em todas sofreu derrota acachapante nas urnas.

Nestas eleições, o Procurador Mauro vem adotando a estratégia de ataque à imprensa, querendo imputar a ela o seu fracasso eleitoral. Contra o jornal Centro-Oeste Popular, entrou com uma ação, que pode ser vista como uma forma de intimidação, devido a este veículo de comunicação informar a sociedade sobre o histórico do procurador.

Em recente reportagem, e na obrigação de bem informar seus leitores, o CO Popular mostrou que o Procurador de dois em dois anos disputa uma eleição, e por força da Lei, precisa se afastar do cargo por três meses e sem qualquer prejuízo à remuneração de R$ 26 mil. Um cálculo feito pelo jornal Centro-Oeste Popular chegou a esse resultado, ou seja, em sete eleições disputadas, quando se manteve afastado do cargo, o Procurador faturou nada menos que R$ 630 mil em salários pagos sem trabalhar. É bom lembrar que em nenhum momento o CO Popular colocou que isso seria ilegal, questionando sim a moralidade desse posicionamento do candidato do Psol.

Com uma atitude arrogante e prepotente, o Procurador Mauro desde o início da campanha eleitoral vem adotando uma posição questionável em relação à imprensa, esnobando jornalistas, se recusando a dar entrevistas, alegando que só concede entrevista ao vivo, e mesmo assim escolhendo a dedo onde deseja aparecer, em uma verdadeira atitude de estrela de Hollywood, e não de pessoa pública, que teria o dever de respeitar o direito da imprensa livre, e principalmente seus eleitores, pois cerceando o direito a informação, demonstra que quer esconder algo da sociedade mato-grossense.

A atitude prepotente do Procurador Mauro chega a tal ponto, que ele não se intimida a deixar em dúvida a integridade jornalística de um dos mais respeitado e experiente  jornalista de Mato Grosso, Onofre Ribeiro, apenas por ser um crítico do candidato do Psol.

Na semana passada, ele deixou claro que não participaria de uma entrevista ao Programa Estúdio Band e a justificativa da assessoria do Procurador Mauro é de que ele não participa de entrevistas das quais participa o jornalista Onofre Ribeiro, que vem mencionando o fato de que o Procurador aparece de dois em dois anos tirando licença do trabalho, ou seja, a mesma linha de informação dada pelo Centro-Oeste Popular.

O candidato acusou Onofre de fazer o mau jornalismo e no programa Jornal da Capital, na última sexta-feira (14), um dos únicos em que aceita conceder entrevista,  chegou a chamar Ribeiro de ‘jornalista laranja’.

Em resposta, Onofre Ribeiro disse que a opinião sobre a campanha para licença ‘está na boca do povo’ e criticou o julgamento do candidato ‘cobrador de impostos’ sobre a atuação dele como jornalista.

É bom lembrar ao candidato que vivemos em um país democrático, onde o cidadão tem direito a informação, livre de censura, e que o jornal Centro-Oeste Popular não se furtará a bem informar os seus eleitores, não se intimidando com ações de nenhuma natureza, e está pronto para responder, inclusive judicialmente, pelas reportagens publicadas em seu portal de notícias e jornal impresso, pois sempre prima por publicar verdades, doa a quem doer, sabendo que muitas vezes incomoda aqueles que se acham ofendidos, por ter suas verdades expostas à sociedade mato-grossense.


Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo