19 de Junho de 2019

ENVIE SUA DENÚNCIA PARA REDAÇÃO

Segunda-feira, 03 de Junho de 2019, 08h:43 - A | A

Arrecadação gigantesca

Brasileiros já pagaram mais de R$ 1 trilhão em impostos em 2019

Regina Botelho/ Redação

Assessoria

image

Regina Botelho

 

Da Redação 

Os brasileiros já pagaram do começo de 2019 até o ultimo dia 24 deste mês, mais de R$ 1 trilhão em Impostos, Taxas e Contribuições aos Governos Federal, Estaduais e Municipais. A informação é do Impostômetro do Sistema Fecomércio, Sesc e Senac em Mato Grosso.   Em Mato Grosso, o valor registrado no mesmo horário mostrava R$ 13.547 bilhões, o montante representa 1,25% do total arrecadado no país. No ano passado, neste mesmo período, o valor arrecadado pelo Estado foi de aproximadamente R$ 12.670 bilhões.

A variação positiva de 6,9% corresponde a R$ 877 milhões a mais de impostos pagos pelos mato-grossenses. Segundo o tributarista do  Sistema Fecomércio, Sesc e Senac em Mato Grosso,  Múcio Ribas, na prestação de contas do Estado de Mato Grosso, no primeiro quadrimestre de 2019, a Receita Tributária foi 7,4% maior  do que 2018, mas ficou abaixo da previsão orçamentária do Governo em 3,3%. Múcio Ribas revelou que qualquer produto consumido pago é revertido em imposto, pois existem impostos diretos e indiretos, como por exemplo alguns tributos que são sobre o faturamento da empresa, ou sobre a folha de pagamento, etc. Um fator que chama atenção é a concentração dessa arrecadação nas mãos da União, ficando com 68,02%. Os Estados ficam com 25,72% e os municípios com 6,26%. Vale ressaltar que a União reparte seus valores com Estados e Municípios e o Estado reparte com os Municípios.

Pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), divulgada na última segunda-feira (27), aponta que 74% dos consumidores brasileiros não têm o hábito de procurar saber o quanto pagam de imposto ao adquirir um bem ou contratar um serviço. “O viés do impostômetro é mostrar para o cidadão o quanto ele paga de impostos e auxiliar na cobrança das autoridades quanto ao retorno desses impostos em serviços para o bem estar social”, frisa Ribas. No Estado de Mato Grosso, os produtos com maior taxação no caso do  Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) são as armas, munições, cervejas e cigarros, com alíquotas de 35%.

Para se ter ideia da carga tributária, em 2019, o contribuinte brasileiro precisou, em média, trabalhar até a última segunda-feira (27.05) apenas para arcar com o pagamento de impostos do País. Segundo o site do impostômetro, foram necessários 153 dias para pagar os impostos neste ano. O tributarista Múcio Ribas explica que o aspecto econômico é a principal variável, se a economia vai bem a receita cresce, mas outros fatores como mudança da legislação, fiscalização, etc, também contribuem para o aumento da arrecadação. Com relação à aplicação do dinheiro arrecadado com os impostos, o tributarista afirmou que os governos aplicam em Educação, Saúde, Segurança, Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas, Ministério Público, entre outros.  

“Existe um grande problema de retorno para os cidadãos, um Estudo da Relação da Carga Tributária Versus Retorno dos Recursos à População em Termos de Qualidade de Vida, através do IRBES – Índice de Retorno de Bem Estar à Sociedade, formam listados os 30 países com maior carga tributária, e Entre os 30 países com a maior carga tributária, o Brasil continua sendo o que proporciona o pior retorno dos valores arrecadados em prol do bem estar da sociedade”, finalizou.  

Imprimir

ENQUETE

VEJA MAIS

Você é contra ou a favor ao novo decreto do porte de armas?

PARCIAL

RÁDIO

Coletiva Santa Casa

Áudios da coletiva sobre a Santa Casa


(65) 3052-6030

redacaocopopular1@gmail.com admcopopular1@gmail.com financeiro@copopular.com.br

image